menu

Fauna

"A terra tem música para os que escutam" George Santayana
  • Águia de Asa Redonda

    Águia de Asa Redonda

    Nome Latim: 

    Buteo buteo

    Descrição:
     

    É a ave de presa mais comum, fácil de identificar por voar em círculos e, pelo seu porte, é de fácil de detetar pousada nos postes de eletricidade.

  • Águia Cobreira

    Águia Cobreira

    Nome Latim: 

    Circaetus gallicus

    Descrição:

    É a maior ave com presença na zona de Fátima. Faz ninho nos pinhais e é regularmente observada a caçar répteis em terrenos incultos e matagais.

  • Cartaxo-comum

    Cartaxo-comum

    Nome Latim: 

    Saxicola torquata

    Descrição: 

    Frequenta terrenos agrícolas e incultos. É uma das espécies que melhor se adapta às áreas ardidas.

  • Chapins azuis

    Chapins azuis

    Nome Latim: 

    Parus caeruleus

    Descrição: 

    Apesar de muito pequena, é uma ave destemida, que se movimenta por entre os ramos das árvores mesmo em cima das nossas cabeças, em movimentos frenéticos. É uma das espécies mais coloridas da avifauna florestal do país.

  • Chapins reais

    Chapins reais

    Nome Latim: 

    Parus major

    Descrição:
     

    Espécie muito pequena, mais fácil de ouvir do que de observar. Pelas sua magnifica plumagem colorida, vale a pena procurar nos bosques.

  • Coelho Bravo

    Coelho Bravo

    Nome Latim: 

    Oryctolagus cuniculus

    Descrição:
     

    É um animal comum que surge em vários habitats, preferindo as zonas de orlas dos bosques por lhes dar abrigo e alimento.

  • Coruja-do-mato

    Coruja-do-mato

    Nome Latim: 

    Strix aluco

    Descrição:
     

    Frequenta os vários tipos de bosques, mas apenas nidifica em grandes arvores como as azinheiras e os carvalhos cerquinhos

  • Doninha

    Doninha

    Nome Latim: 

    Mustela nivalis

    Descrição:

    Predador de animais de pequeno porte, tendo por hábito assaltar galinheiros e coelheiras em zonas rurais. Podem ser encontradas nos antigos muros de pedra calcária que dividem as propriedades.

  • Gaio

    Gaio

    Nome Latim: 

    Garrulus glandarius

    Descrição: 

    É uma ave muito tímida pelo que é mais fácil ouvi-la do que observá-la. É considerado um mestre na arte de imitar os cantos e chamamentos de muitas espécies de aves florestais. É omnivero e tem o costume de enterrar bolotas como reserva para o Inverno.

  • Javali

    Javali

    Nome Latim: 

    Sus scrofa

    Descrição:
     

    O animal de maior porte da região, surge em áreas de matagal mediterrânico onde passa o dia abrigado e alimentando-se nas clareiras envolventes e por vezes em terrenos agrícolas, não se aproximando de zonas mais urbanizadas.

  • Melros-pretos

    Melros-pretos

    Nome Latim: 

    Turdus merula

    Descrição: 

    Caracterizados pela penugem preto-mate, encontram-se distribuídas por todo o país, em todo o tipo de zonas, rurais ou urbanas, uma vez que estão bem adaptadas a meios humanizados.

  • Mocho-galego

    Mocho-galego

    Nome Latim: 

    Athene noctua

    Descrição:
     

    Apesar de ser uma ave nocturna, é frequente encontrar-se em actividade ao final da tarde, encontrando-se em áreas agro-florestais como os olivais.

  • Morcego

    Morcego

    Descrição: 

    Os morcegos são os mamíferos mais vulneráveis na zona, encontrando-se alguns em risco de extinção. Alimentam-se exclusivamente de insetos que caçam à noite e, durante o dia, refugiam-se em abrigos escuros, preferencialmente em grutas e algares.

  • Osga

    Osga

    Nome Latim: 

    Tarentola mauritanica

    Descrição:
     

    A osga é um pequeno lagarto que surge nas áreas rurais associada a construções como antigas cisternas.

  • Ouriço-Caixeiro

    Ouriço-Caixeiro

    Nome Latim: 

    Erinaceus europaeus

    Descrição:
     

    É um animal característico da região. Tem o corpo coberto por espinhos que servem de defesa contra os predadores.

  • Perdizes

    Perdizes

    Nome Latim: 

    Alectoris rufa

    Descrição: 

    É uma espécie muito comum em todo o país, à exceção do litoral, pelo que é usual encontrar um bando de perdizes a atravessar a estrada. Pelo seu aspeto de galináceo é inconfundível. É muito cobiçada por caçadores.

  • Pintassilgos

    Pintassilgos

    Nome Latim: 

    Carduelis carduelis

    Descrição: 

    Esta pequena ave é muito comum e reconhecível pela sua máscara vermelha. Durante a Primavera pode ser observado a cantar no altos das arvores, antenas, postes e telhados. No Inverno agrega-se frequentemente em bandos de dimensões consideráveis que podem juntar centenas de aves. De fácil adaptação, habita em qualquer lado, evitando apenas áreas densamente arborizadas e de grande altitude.

  • Piscos-de-peito-ruivo

    Piscos-de-peito-ruivo

    Nome Latim: 

    Erithacus rubecula

    Descrição: 

    Caracteriza-se por ser uma ave que canta em qualquer época do ano. Está mais presente a norte do país, mas migra para Sul durante o Inverno com a chegada de aves invernantes provenientes do Centro e Norte da Europa.

  • Rã-Verde

    Rã-Verde

    Nome Latim:

    Rana perezi

    Descrição:

    É o anfíbio mais comum na zona e fácil de identificar pelo seu coaxar característico.

  • Raposa

    Raposa

    Nome Latim:

    Vulpes vulpes

    Descrição:

    Predador de animais de pequeno porte, refugiam-se em azinhais e matagais mediterrânicos, encontrando-se muitas vezes perto de habitações em busca de alimento.

  • Rouxinol-comum

    Rouxinol-comum

    Nome Latim:

    Luscinia megarhynchos

    Descrição:

    É uma das aves com canto muito variado, contendo diferentes sequências de notas musicais. Surge na Primavera, cantando interminavelmente durante toda a noite.

  • Salamandra-de-pintas-amarelas

    Salamandra-de-pintas-amarelas

    Nome Latim:

    Salamandra salamandra

    Descrição:

    Anfíbio de hábitos nocturnos, sedentários e totalmente terrestres, apenas procuram meios aquáticos para depositar os ovos. Alimentam-se de invertebrados terrestres.

  • Sapo Comum

    Sapo Comum

    Nome Latim:

    Bufo bufo

    Descrição:

    A cor da pele pode variar no mesmo animal, consoante a temperatura, a humidade e o tipo de substracto, sendo mais claros em zonas mais húmidas. Observa-se com maior facilidade quando chove. Apesar de ser um dos maiores anuros portugueses, os seus girinos são dos mais pequenos. As fêmeas têm ainda a particularidade de atingirem mais do dobro do tamanho dos machos.

  • Sardão

    Sardão

    Nome Latim:

    Lacerta lepida

    Descrição:

    É considerado o maior lagarto europeu, localizando-se neste continente, apenas na Península Ibérica e Sul de França, podendo atingir 80cm de comprimento, incluindo a cauda.

  • Toupeira

    Toupeira

    Nome Latim:

    Talpa europea

    Descrição:

    Encontram-se essencialmente em terrenos agrícolas, onde vivem em galerias que escavam debaixo da terra, que se identificam pelos pequenos montes de terra que se encontram à entrada.

  • Toutinegra-de-cabeça-preta

    Toutinegra-de-cabeça-preta

    Nome Latim:

    Sylvia melanocephala

    Descrição:

    É uma espécie caracterizada pelo seu chilrear que faz lembrar uma matraca. É uma espécie bastante abundante e bem adaptada a zona de matos, bosques e mesmo em jardins urbanos.

  • Verdelhões

    Verdelhões

    Nome Latim: 

    Carduelis chloris

    Descrição: 

    Espécie muito comum em todo o país, tem hábitos sedentários, embora as aves do Norte migrem para o Sul nas épocas mais frias. 

scroll